Incrível!

Publicado 2017-01-09
0 Comentário

Seus colegas de classe a atormentavam porque as 12 anos ela media 1,90 m. Hoje...

A infância é um dos momentos mais agradáveis ​​de nossa vida. Quando crianças, a coisa mais importante para nós são alegria e diversão, não temos nenhuma preocupação. Vivendo com os nossos pais, não temos que pensar em pagar as contas, encontrar um emprego para sustentar a família ou problemas de convivência. A maioria de nós se lembra com nostalgia dessa fase de nossas vidas. As experiências permanecem em nossas mentes para sempre.

Desde crianças, fazemos amizade com pessoas que farão parte de nossas vidas para sempre, visitamos lugares surpreendentes e podemos até nos apaixonar por aquela garota bonita sentada do outro lado da classe. Como se diz, há momentos em que ser criança não é fácil, porque temos de enfrentar situações complexas como falar em frente de outras pessoas ou suportar as provocações de outras. A garota do nosso artigo passou pela segunda situação, mas agora ela é quem ri por último...
Clique em “Página seguinte” para ver o resto do conteúdo do post.

Atualmente, tem se comentado muito sobre um grave problema que ocorre em quase todas as escolas do mundo. A escola deveria ser o local onde os pequenos vão para aprender novos conceitos, mas na verdade muitos deles vivem um verdadeiro pesadelo a cada vez que eles chegam lá. Quando uma mãe deixa seu filho na entrada da escola, ela geralmente não sabe o que se passa lá dentro. É possível que seu amado esteja sofrendo o denominado "bullying” ou intimidação.

Cerca de um terço de nossos filhos, infelizmente, sofrem intimidações na escola. Por sua forma de vestir, suas origens e sua aparência, podem provocar a intimidação por parte de outros. Os afetados nem sequer conseguem se expressar com palavras: sentem uma tristeza infinita, vontade de ficarem fechados em seus quartos o dia inteiro e perdem o ânimo. Devemos trabalhar para que este mal seja erradicado por completo. É o futuro de nossas gerações que está em jogo. Essa história os surpreenderá totalmente: as intimidações dos outros voltaram-se contra eles...
Clique em “Página seguinte” para continuar lendo o conteúdo do post.

Sabemos que no mundo há pessoas altas. Normalmente, dizemos que essas pessoas estão destinadas a jogar basquete, já que neste esporte os jogadores altos são necessários. A estatura média na Terra é aproximadamente um metro e setenta e, por isso, quando vemos pela rua pessoas com mais de 2 metros, nos surpreendemos bastante. Focamos nos perguntando, como será que essa pessoa se sente vendo o mundo lá de cima. Na verdade, são pessoas iguais a qualquer outra, apenas com alguns centímetros a mais.

Em idade escolar, a mentalidade de algumas crianças ainda não está desenvolvida, ou seja, não alcançaram a maturidade necessária para entender os problemas dos demais. Para um menino, ser um pouco mais alto que os demais, não é motivo de bullying além dele ser a alegria da família. O contrário acontece com as meninas muito altas: os outros jovens as veem como fora do normal, já que de modo geral o gênero feminino é ligeiramente mais baixo que o masculino...
Clique em “Página seguinte” para continuar lendo o conteúdo do post.

Eli Shotz atualmente tem 27 anos e, infelizmente, não guarda boas recordações dos tempos de escola. Ela se sentia uma a mais entre os colegas, mas muitos deles a atormentavam por causa de sua altura: quando ela tinha apenas 12 anos ela já tinha alcançado 1,90m de altura! Insultos do tipo “girafa” e “farol” eram bastante comuns, o que fazia com que muitas vezes ela voltasse para casa chorando copiosamente. Sua família tentava ajudá-la junto com a diretoria do colégio, mas as intimidações continuavam.

Depois de um dia em que a chamaram de “monstro”, Eli concluiu que já havia sido suficiente. Ela iria converter esse suposto defeito em uma de suas principais virtudes e, a partir desse momento, ela começou a tirar vantagem de sua estatura. A cada dia a insultavam menos, já que começaram a perceber que as intimidações não mais a afetavam. Eli, inclusive, conseguir fazer parte de um grupo de amigas, o que a deixou muito feliz. Realmente, ela merecia isso, depois de sofrer tanto. Como ela está agora e o que ela faz? Você verá na continuação...
Clique em “Página seguinte” para continuar lendo o conteúdo do post.

Na verdade, Eli não parou de crescer. Se antes ela media 1,90m, hoje ela ultrapassa os 2 metros de altura. Aos 15 anos ela começou a ir a uma academia para ficar em forma e conseguiu! Sua autoestima aumentou tanto que atualmente ela é uma modelo de tamanhos grandes. As empresas de modelo competem para tê-la em seus desfiles. Além disso, Eli tenta ajudar a todos os que se sentem tristes em função de seus complexos. Ela os faz compreender que a opinião dos demais não é importante, e sim o que eles pensam sobre si mesmos.

Essas foram as declarações de Eli a uma mídia local acerca do que ela sofreu no passado: “Quando eu ia à escola, a maioria dos meus colegas não parava de me atormentar. Isso se passou por vários anos. Meu complexo era tal que eu nem sequer tinha vontade de ir à escola, mas acabei me dando conta de que tudo o que me diziam, não mudava nada. Agora eu me tornei modelo para homens fetichistas, ganhando somas mensais importantes. Em resumo, eu sou muito feliz.” Você gostou deste artigo? Se gostou e quiser ler mais deste tipo, compartilhe-o com seus amigos e dê um Like em nossa página de Facebook.

Fonte: StarStock/ holahola.cc

9
Esta é a bala mais mortífera do mundo. Veja o que ela é capaz de fazer...
Esta é a bala mais mortífera do mundo. Veja o que ela é capaz de fazer...
Hoje vivemos em um mundo que promove uma violência exagerada a partir de jogos de videogame e filmes de ação que geralmente são baseados neste tema. E o mais estranho de tudo é usar este tipo de estratégia em campanhas de vendas. Muito disso é...
O que você acha?! Juntar-se à conversa