Incrível!Animais

Publicado 2017-03-03
35 Comentário

12 animais extintos que os cientistas reviverão este ano…

A Terra está no meio de sua sexta extinção em massa: em algum lugar, algo entre 30 e 159 espécies desaparecem diariamente, graças, em parte, aos seres humanos, e mais de 300 tipos de mamíferos, aves, répteis e anfíbios desapareceram desde 1500. Estas taxas não apontam para um futuro positivo da vida em nosso planeta, mas o que ocorreria se a extinção não fosse permanente? E se pudéssemos ressuscitar algumas das espécies que perdemos? Parece que os cientistas estão pensando seriamente que alguns animais deveriam voltar à vida e estes são os eleitos...

Tigre do Cáspio

Tigre do Cáspio

O Tigre do Cáspio, também chamado de Tigre de Hircânia ou Tigre Turaniano, é uma subespécie extinta de tigres que foi registrada em estado selvagem antes do século XX, e permaneceu nos habitats dispersos das florestas e dos corredores fluviais do oeste e do sul do Mar Cáspio, na Turquia, do Irã e do oeste da Ásia central ao deserto de Takla Makan de Xinjiang, na China. Sua dieta provavelmente consistia principalmente de porcos selvagens e veados e, em menor medida, cavalos e gatos selvagens. O Tigre do Cáspio foi um dos maiores já existentes.

Clique em ”Página Seguinte” para ver o resto do conteúdo do post.

Tigre do Cáspio 1

Arara Cubana

A Arara Cubana (Ara tricolor) era uma espécie nativa da ilha principal de Cuba e da vizinha Ilha da Juventude, extinta no final do século XIX. Seu relacionamento com outras araras do gênero Ara é incerto, mas ela pode ter sido intimamente relacionada com a Arara Vermelha, com quem tem algumas semelhanças. Ele também pode ter sido estreitamente relacionada, ou ser idêntica, à hipotética arara vermelha jamaicana. Não se conhecem esqueletos modernos, mas foram encontrados restos de subfósseis em Cuba.

Arara Cubana

Pássaro Dodô

O Dodô (Raphus cucullatu) é uma ave extinta que não voava e que era endêmica nas Ilhas Maurício, a leste de Madagascar, no Oceano Índico. O parente genético mais próximo do Dodô é também o extinto solitário Rodrigues, os dois formando a subfamília Raphidae da família das pombos. Acreditava-se que um Dodô branco existia na ilha vizinha, Ilha Reunião, mas agora acredita-se que houve uma confusão com base no Íbis, na mesma ilha, semelhante aos Dodôs brancos.

Clique em ”Página Seguinte” para ver o resto do conteúdo do post.

Pássaro Dodô

Mamute-lanoso

O Mamute-lanoso (Mammuthus primigenius) é uma espécie extinta de mamute que viveu durante o Pleistoceno e foi um dos últimos da linha das espécies gigantescas. O mamute se separou do Mamute-da-estepe há 400.000 anos atrás no leste da Ásia. O seu parente mais próximo é o elefante asiático. A aparência e o comportamento desta espécie estão entre os mais estudados de qualquer animal pré-histórico, devido à descoberta de cadáveres congelados na Sibéria e no Alasca, bem como esqueletos, dentes, conteúdo do estômago, fezes e representação de sua vida nas pinturas rupestres.

Mamute-lanoso

Rinoceronte-lanudo

O Rinoceronte-lanudo (Coelodonta antiquitatis) é uma espécie extinta de rinoceronte que era comum em toda a Europa e no norte da Ásia durante o Pleistoceno, sobreviventes do último período glacial. Os Rinocerontes-lanudos eram membros da megafauna da época. Como o último e mais derivado membro da linhagem de rinocerontes do Pleistoceno, este animal era bem adaptado ao seu ambiente. Suas extremidades robustas e seu casaco de lã grossa eram muito adequados para o ambiente da estepe, que era predominante ao longo da ecozona paleantártica durante as glaciações.

Clique em ”Página Seguinte” para ver o resto do conteúdo do post.

Rinoceronte-lanudo

Tetraz-das-Pradarias (Heath-Hen)

A Tetraz-das-Pradarias (Tympanuchus cupido cupido), grandemente conhecida como Heath-Hen, foi uma subespécie distinta do grande galo da pradaria, um grande pássaro norte-americano do galo, ou eventualmente de uma espécie distinta, que foi extinta em 1932. As Tetrazes-das-Pradarias viviam na árida costa norte-americana do sul de New Hampshire, em priscas eras, mas possivelmente também habitaram o sul da Flórida. Os galos das pradarias, por outro lado, habitavam do norte do Texas até Indiana e as Dakotas e, em tempos anteriores, no sul do Canadá.

Tetraz-das-Pradarias (Heath-Hen)

Moa

As moa foram nove espécies (em seis gêneros) de aves que não voavam, endêmicas da Nova Zelândia. As duas maiores espécies, Dinornis robustus y Dinornis novaezelandiae, atingiam cerca de 3,6 metros de altura com o pescoço estendido e pesavam cerca de 230 quilos. Quando os polinésios se estabeleceram na Nova Zelândia, por volta de 1280, a população moa era de cerca de 58.000. As moa pertenciam à ordem dos Dinornithiformes, tradicionalmente colocados no grupo das ratites.

Clique em ”Página Seguinte” para ver o resto do conteúdo do post.

Moa

Baiji ou golfinho chinês

O Baiji é uma espécie de golfinhos de água doce extintos, antes só encontrados no rio Yangtze, na China. Apelidados de "Os Deuses do Yangtze", foram considerados os protetores dos pescadores e barqueiros locais na China, mas não devem ser confundidos com o golfinho branco chinês ou boto-do-índico. A população Baiji diminuiu drasticamente nas últimas décadas com a industrialização da China que iniciou a fazer um uso pesado do rio para a pesca, transporte e energia hidroelétrica. Afirma-se nas crenças de que esta espécie de golfinhos poderia ser a primeira na história que os seres humanos levaram à extinção.

Baiji ou golfinho chinês

Tigre da Tasmânia

Foi o marsupial carnívoro mais conhecido dos tempos modernos. É comumente conhecido como Tigre da Tasmânia (por causa de suas listras nas costas) ou Lobo da Tasmânia. Nativo da Austrália continental, da Tasmânia e da Nova Guiné, acredita-se ter sido extinto no século XX. Foi o último membro existente de sua família, a Thylacinidae. Foram encontrados espécimes de outros membros da família no registro fóssil que data dos finais do Oligoceno.

Clique em ”Página Seguinte” para ver o resto do conteúdo do post.

Tigre da Tasmânia

Rheobatrachus – Rãs incubadoras gástricas

As rãs incubadoras gástricas ou Rheobatrachus foi um gênero de sapos terrestres nativos de Queensland, na Austrália oriental. O gênero consistia de apenas duas espécies, que se tornou extinto em meados dos anos oitenta. O gênero era único porque continha as duas únicas espécies conhecidas de rãs que incubavam os estágios pré-juvenis de sua prole no estômago.

Rheobatrachus – Rãs incubadoras gástricas

Arau Gigante

O Arau Gigante(Pinguinus impennis ) era uma ave não voadora, da família Alcidae, extinta em meados do século XIX. Foi a única espécie moderna do gênero Pinguinus (não relacionada aos pinguins). Ele vivia nas ilhas rochosas, isolado, com fácil acesso ao mar e oferta abundante de alimentos, uma raridade na natureza que fornecia apenas alguns locais de reprodução para os araus. Quando se reproduziam, os araus passavam seu tempo buscando alimentos nas águas do Atlântico Norte, estendendo-se tanto ao sul, como ao norte da Espanha, e também ao redor das costas de Canadá, Gronelândia, Islândia, Ilhas Feroe, Noruega, Irlanda e Grã-Bretanha.

Clique em ”Página Seguinte” para ver o resto do conteúdo do post.

Arau Gigante

Abutre Barbudo ou Quebra-ossos

É uma ave de rapina que não está extinta, sendo o único membro do gênero Gypaetus. Tradicionalmente considerado um abutre do Velho Mundo, na verdade, constitui-se em uma linhagem menor das Accipitridae, juntamente com o abutre do Egito (Neophron percnopterus), seu parente mais próximo. Embora diferentes, tanto o abutre do Egito quanto o abutre barbudo possuíam uma cauda em forma de losangos, incomum entre as aves de rapina. Antes de julho de 2014, a espécie era classificada como “pouco preocupante” no que tange à sua extinção. No entanto, sua população começou a declinar. O abutre barbudo é o único animal conhecido cuja dieta é quase exclusivamente de ossos. Atualmente elas estão seriamente ameaçadas, mas os cientistas estão começando a recuperação da espécie.

Abutre Barbudo ou Quebra-ossos

Bipes biporus

Também conhecido como lagarto toupeira mexicano, lagarto de cinco dedos ou simplesmente como Bipes, é uma espécie de Amphisbaena, que é endêmica da Península da Baixa Califórnia. É uma das quatro espécies com pernas e não deve ser confundida com o axolotle, uma salamandra chamada normalmente de axolote. Sua pele é bem segmentada, dando-lhe uma aparência ondulada, como uma minhoca, sendo seu movimento subterrâneo devido ao peristaltismo dos segmentos. Embora também não esteja extinta, ela corre sério risco de desaparecimento, de modo que os cientistas imploram por sua recuperação.
Compartilhe este artigo com todos e sinta-se livre para deixar um Like em nossa página no Facebook!
Fonte: Imgur

Bipes biporus
175
O que você acha?! Juntar-se à conversa

9 animais extintos por causa dos seres humanos…
Nicholas Wojeicchowski
Nicholas Wojeicchowski 08/03/17 07:03
Daqui uns dias eles trazem os dinossauros de volta
Raphael Tayson Pacheco Gabriel
Raphael Tayson Pacheco Gabriel 07/03/17 07:03
Quer recriar mas esquecem que a atmosfera mudou, que o mundo não é mais mesmo além do mais gastam bilhões de grana pra recriar um alguns animais que ferrava com a ancestralidade desdo primórdio de que quando fomos abandonados aqui esses putos tão loco.
Everton Camargo Santos
Everton Camargo Santos 07/03/17 07:03
Haha vai sonhando que a ciência tem tecnologia pra trazer esses animais de volta. Desdé rither a ciência tenta isso, e so o que consegue e misturar as raças já existente trazendo um animal híbrido.
Marcelo Araujo
Marcelo Araujo 07/03/17 07:03
Desta forma que os humanos foram criados segundo escritas Sumérias... e a evolução humana se dará em laboratório através da mistura de raças mais evoluidas,onde já é sabido por muitos em segredos q raças foram inseridas ao longo da história da humanidade, cor certeza já conhecidas e ocultadas! Quem viver verá!
Raphael Tayson Pacheco Gabriel
Raphael Tayson Pacheco Gabriel 07/03/17 07:03
Aqueles escritos em cuneiforme dizem sobre isso e mais outra cousa e não é muito da criação humana,apesar que tem um pouco haver, mas ta mais situada na rixa de dois irmãos...Zacarias Sitchin foi o único que afirmou que muita raiz religiosa tem fundamento base nessas plaquetas de argila.é bom da uma lembrada nos anunak
Luis Carlos
Luis Carlos 07/03/17 07:03
Lembrei da queda da babilônia e também do desafio feito ao profeta Elias no monte Carmelo. O fogo apareceu na ação de um único e tão somente Deus desse universo.
Raphael Tayson Pacheco Gabriel
Raphael Tayson Pacheco Gabriel 07/03/17 07:03
Aqueles escritos em cuneiforme dizem sobre isso e mais outra cousa e não é muito da criação humana,apesar que tem um pouco haver, mas ta mais situada na rixa de dois irmãos...Zacarias Sitchin foi o único que afirmou que muita raiz religiosa tem fundamento base nessas plaquetas de argila.é bom da uma lembrada nos anunak
Luis Carlos
Luis Carlos 07/03/17 07:03
Lembrei da queda da babilônia e também do desafio feito ao profeta Elias no monte Carmelo. O fogo apareceu na ação de um único e tão somente Deus desse universo.
Thiago Oliveira
Thiago Oliveira 07/03/17 07:03
Estagiários Hahahaha
Caline Lima
Caline Lima 07/03/17 07:03
Nós?? "Nós" é uma expressão muito forte meu caro kkkkk me tire disso
Indiara Carvalho
Indiara Carvalho 07/03/17 07:03
Maria Luisa Carvalho Não vejo a hora de ter meu próprio DODÔ kkkkkkkkkkk
Maria Luisa Carvalho
Maria Luisa Carvalho 07/03/17 07:03
Kkkkk Só você mesmo pra querer um Dodo kkk
Maria Luisa Carvalho
Maria Luisa Carvalho 07/03/17 07:03
Kkkkk Só você mesmo pra querer um Dodo kkk
Paulo Cesarpcpc
Paulo Cesarpcpc 07/03/17 07:03
-vc é um dodô? -sim eu sou um dodô! -eu achei um dodô eu to rico! -não eu achei o dodô eu que tô rico!
Hugo Samuel Alovisi
Hugo Samuel Alovisi 07/03/17 07:03
E nesse tempo não existiam fábricas.
Darly Aleixo
Darly Aleixo 07/03/17 07:03
O homem brincando de ser Deus
Bia Rodrigues
Bia Rodrigues 07/03/17 07:03
Pedro Arthur vai dar merda né? Kkkkk
Pedro Arthur
Pedro Arthur 07/03/17 07:03
Eu tmb tô achando que vai dar!
Pedro Arthur
Pedro Arthur 07/03/17 07:03
Eu tmb tô achando que vai dar!
Paulo Cesar
Paulo Cesar 07/03/17 07:03
Num tem cura pro câncer que reviver um animal
Josy Cristiny Macêdo
Josy Cristiny Macêdo 07/03/17 07:03
Ah meu Deus e cada uma
Jaime Silva
Jaime Silva 07/03/17 07:03
Se tu já era nascido a milhares de anos atrás tu é velhinho em mano
Hugo Seven
Hugo Seven 07/03/17 07:03
Aproveita e pergunta a eles como eles foram extintos.
Amaral Alves
Amaral Alves 06/03/17 07:03
Como assim, nós? Eu não destrui nada . Eu não tenho nem cinquenta anos como que ajudei a matar um mamute?
Thiago Oliveira
Thiago Oliveira 07/03/17 07:03
Estagiários Hahahaha