Incrível!Família

Publicado 2017-05-03
19 Comentário

A assustadora origem das "Festas de 15 Anos". Aqui estão os motivos para evitar a celebração

Se você é uma jovem de 14 anos e está esperando muito a data de seu aniversário de quinze anos ou simplesmente você é um pai ou mãe que está pensando em quanto vai gastar nessa festa, você precisa ver este artigo. Muito provavelmente depois disso, você não vai mais querer comemorar nada. Em plena adolescência, a festa que celebra seus 15 anos é o melhor do mundo, e para os pais orgulhosos, eles sentem a honra de celebrá-la pela felicidade da filha. Nesta cativante cerimônia, toda a família se reúne para felicitar a jovem que finalmente deixou a infância para transformar-se em uma uma jovem mulher.

No entanto, muitos historiadores garantem que a origem desta festa tão bonita tem um fundo malévolo. Muitos dizem que se soubéssemos qual é a verdadeira origem, essas festas acabariam de imediato. As culturas pré-colombianas Astecas e Maias realizavam, frequentemente, rituais na puberdade com a intenção de indicar que a menina já não seria mais tratada como criança, mas como uma verdadeira mulher. Porém, além disso, significava que um homem poderia tomá-la quando quisesse para reproduzir-se e formar uma família.

Confira na página seguinte o motivo disso.

Quando as meninas chegavam a essa idade da celebração, eram levadas para uma escola chamada Telpochcalli, onde aprendiam tradições, cultura e história e se preparavam para o casamento. A chegada dos espanhóis, nos séculos XV e XVI, trouxe consigo a imposição do pensamento católico. Com isso, iniciou-se a colonização dessa Nova Espanha, por intermédio da Igreja Católica e de suas crenças. A invasão e a colonização espanhola foi inevitável e, em pouco tempo, as tradições indígenas se fundiram com as católicas.

Contudo, a festa de 15 anos nunca foi totalmente unificada. Diz-se que a Igreja Católica fez o impossível para destruir esta tradição milenar, porém os povos indígenas não permitiram e continuaram a praticar a celebração. O objetivo desta festa era apresentar a nova senhorita à sociedade, e fazer com que os outros soubessem que sua filha não era mais uma criança, e sim uma jovem mulher em idade de se casar e procriar. Certamente, haverá pessoas que não gostam dessa tradição e a consideram um tanto machista, pois vê as mulheres como meros objetos. No entanto, algo foi essencial para isso ser mudado.

Qual foi o motivo dela não ter se adaptado a esses novos tempos? Veja na página seguinte

Misteriosamente, as famílias ricas e abastadas começaram a seguir a tradição do Novo Mundo. Eles convidavam outras famílias que tivessem filhos jovens, com a intenção de casar sua filha com o moço que melhor conviesse aos interesses da família. Realizava-se uma festa, um jantar e um baile, no qual os candidatos iam conquistando a menina e sua família, com os seus modos, atos, linguagem e situação financeira. Contudo, algo importante de se ressaltar é que, além da festa, algo mais ocorria e imaginamos que você já saiba o que é.

Se a moça não fosse "pura e casta", não teria uma festa dessas, já que “apresentá-la” era privilégio muito especial para o jovem afortunado que fosse se casar com ela. Graças a esses vínculos entre os filhos, as famílias poderosas criavam laços de parentesco com outras de posse iguais, assegurando maior rentabilidade e benefícios em seus negócios. Como você concluiu, por trás desta festa, havia um fundo de interesse em dinheiro e do poder. O que importava realmente naquela época era a família, sendo que, na maioria dos casos, a felicidade da jovem era o detalhe que menos se levava em conta.

Saiba as consequências desse pensamento da época.

Como você deve imaginar, havia centenas de casos de adolescentes que escapavam ou fugiam com seu "verdadeiro amor" adolescente, pois não queriam ser obrigadas a se casar com um homem que seus pais haviam escolhido. Infelizmente, sua opinião não tinha nenhum valor naquela época. Uma grande parte das jovens oferecidas durante as celebrações da Festa de Quinze Anos, casavam-se com o homem escolhido por seu pai. Não importava nada o que elas pensavam, só tinham que obedecer seu pai. Sem se sentirem atraídas por seus maridos, elas tinham que suportar se deitar com eles.

Se a filha desobedecia essas instruções, era severamente castigada por seu pai, seu marido ou pela igreja, na frente de todo o povo, na praça principal. Muitas meninas escaparam, outras foram capturadas e, algumas vezes, até seus companheiros secretos acabavam revelados e eram severamente castigados. Você agora entendeu por que a origem desta celebração não é de todo agradável. Se você está pensando em fazer uma festa deste tipo, lembre-se de essas menias que foram obrigadas a casar com homens que não amavam.

Se gostou deste artigo, nos deixe um comentário, compartilhe com todos e nos acompanhe também no Instagram!
Fotos: StarStock/ Imgur

186
O que você acha?! Juntar-se à conversa
15 pessoas que se arrependeram de comprar online
Conceição Batista
Conceição Batista 16/05/17 06:03
Isso eu já sabia, não se deve comemorar aniversário só de casamento.
Eviih Santos
Eviih Santos 15/05/17 06:03
Nossa nada ve, hj em dia tem meninas de 13/14 anos já grávidas, sério, não faz sentindo, a festa é pra comemorar uma nova fase na vida de uma moça.
Saulo Santana
Saulo Santana 14/05/17 06:03
Rosa Santana Santana
Maria Eduarda Michelin
Maria Eduarda Michelin 14/05/17 06:03
Maior besteira festa de quinze anos, gastar um monte pra uma noite e ainda sempre tem aqueles q saem falando mal! Quando fiz 15 decidi que queria uma viagem, fui pra Inglaterra, fiz curso de inglês lá e ainda visitei Paris em um dos finais de semana! Valeu muito mais do que uma festinha que depois de 2 dias ninguém lembra mais!
Marcia Pimenta
Marcia Pimenta 14/05/17 06:03
Se pensarmos na origem da maioria das datas comemorativas e ritos de passagem, pararíamos de comemorar tudo. Então, que cada um coloque uma boa intenção na sua tradição e comemore a vida!!!!
Sandra Cristina Oliveira
Sandra Cristina Oliveira 14/05/17 06:03
Kkkkk meu Deus ..isso não tem nada a ver..hoje em dia os tempos são outros ..
Laís Oliveira
Laís Oliveira 14/05/17 06:03
Certa Beatris Beatriz Ribeiro pra que se prender em negatividades tambem acho uma festa. Lindaaaa
Regiane Feliz
Regiane Feliz 14/05/17 06:03
Leiam esse artigo Vania Martins e Beatriz Martins nada haver
Beatriz Ribeiro
Beatriz Ribeiro 13/05/17 06:03
Nem li e não quero ler! Comemorei meu aniversário de 15 anos porque quis!porque é uma festa linda e eu queria muuuito viver tudo aquilo. Farei a festa de 15 anos da minha filha pelos mesmo motivos e porque a amo e vou querer como sempre comemorar Mais um ano da vida e das conquistas dela! Todo o resto é sujeita da cabeça dos outros
Emanoel Dias
Emanoel Dias 13/05/17 06:03
O que há de assustador? A nossa realidade atual é bem pior... Antes dos 15, garotas já fazem a miséria toda mundo a fora com um e com outro e nem ao menos se casar , casam.... Nesse tempo ai, ao menos constituíam família e seguiam uma vida digna. E hoje ? Como estamos ?
Ester Machado
Ester Machado 13/05/17 06:03
Afff nada vê isso era no passado,com pessoas de mentalidade medíocre, Hoje em dia se for fazer festa de quinze anos não quer dizer q vai escolher um marido pra filha. Nada a ver, nada a ver... Tanta coisa melhor para publicar e vai lá e posta isso
Luciane Souza
Luciane Souza 13/05/17 06:03
Ah pagina idiota. A festa quem vai dar sou eu e quem vai receber vai amar!!! Fdsseee
Débora Lima
Débora Lima 13/05/17 06:03
Gabi Pinheiro fizemos a escolha certa! Disney é melhor né? Rs
Diengra Güllweig Lerinni Radaelli
Diengra Güllweig Lerinni Radaelli 13/05/17 06:03
Hoje em dia tem mais chás de bebês que festas de 15 anos Foi-se o tempo.
Eulina Braga
Eulina Braga 13/05/17 06:03
Parece q não tem nada melhor pra publicar
Sabrina Quintana
Sabrina Quintana 13/05/17 06:03
Página seguinte... Página seguinte... Que MERDA! Descurtindo!!!!
Gleice Ane
Gleice Ane 13/05/17 06:03
Não vou abrir a porra de seis páginas....
Giih Ölliver
Giih Ölliver 13/05/17 06:03
Que segredo é esse ?
Ludmila Da Siva Rodrigues
Ludmila Da Siva Rodrigues 13/05/17 06:03
Leia Ellen Jackeline Oliveira