12 Comentário

Por anos a chamaram de “a menina mais feia do mundo”. Veja como ela está agora!

A vida de Sophie Walker (22) não foi um mar de rosas, com certeza. Em sua vida, a menina teve que passar por numerosos obstáculos e a maioria deles relacionados com uma condição médica e genética que a menina herdou e que aprendeu a conviver. Porém, a doença em si parece uma banalidade se comparada com tudo o que teve que passar em uma sociedade que, apesar de falar muito sobre tolerância e respeito, fez com que ela passasse por um verdadeiro calvário e demonstrou que qualquer um que seja considerado diferente dos demais será marginalizado.

Sem dúvidas, o ser humano como criatura e como conjunto, formando a sociedade, ainda deve percorrer um longo caminho para chegar a uma tolerância aos diferentes plena. Por enquanto, o que vemos é mais conversa do que ação. No entanto, a história de Sophie tem um final feliz e demonstra que temos que seguir adiante em qualquer momento, porque nunca se pode saber o que te espera quando chegue o amanhã. Vamos do princípio: para começar, Sophie teve que lutar com uma doença que se chama neurofibromatosis.

Se deseja saber mais sobre a doença e quais consequências tem, não perca a página seguinte.

Neurofibromatosis
Para compreender da melhor maneira sobre a história de Sophie de Norfolk, Inglaterra, temos que conhecer alguns dados básicos sobre a neurofibromatosis. É um transtorno genético do sistema nervoso que se expressa no crescimento descontrolado de tumores em diferentes partes do corpo e de forma irregular. Pode se manifestar mediante manchas na pele, nódulos de Lisch nos olhos, displasia nos ossos, Schwannomas nos nervos, etc. É um transtorno que na maioria dos casos se herda, mas também existem exemplos que pessoas que sofreram da doença de maneira espontânea, por causa de uma mutação nos genes. Uma vez que a mutação se manifesta num indivíduo, ela pode ser passada nas próximas gerações junto com o gene mutante.

Não existe até agora nenhum tipo de tratamento, nem cura contra esta doença. Só existem tratamentos paliativos que podem desacelerar seu desenvolvimento. Em alguns casos especiais se recorre à cirurgias para remover os tumores, mas contém um risco grande, já que os tumores estão conectados com os nervos do corpo. Os tumores de Sophie afetaram de maneira considerável o rosto de Sophie e por causa dele, teve que passar um inferno durante a época escolar. Como a trataram? Seguramente não do jeito que deveriam.

Veja o quanto a Sophie sofreu na página seguinte...

Os anos escolares
Desde seus anos mais jovens, a vida de Sophie foi marcada pela vergonha e pela baixa autoestima. Na escola primária, as crianças a insultavam de “menina-câncer” e mesmo ela tentando não levar de maneira pessoal, sua autoestima ia caindo cada vez mais. A menina tinha esperança de que o bullying terminaria com a idade e que os adultos seriam mais compassivos. Infelizmente, bem rápido ela descubriu a verdade. Sua situação durante a adolescência era pior. Os jovens se aproximavam dela só para fazerem piadas: “Se aproximavam de mim grandes grupos para tirar foto comigo. Eu já sabia que iam postar a fotos nas redes sociais para rirem de mim”, comenta Sophie.

Os meninos apostavam entre si para ver quem era capaz de beijar a “menina-câncer”. Por isso, Sophie tinha a autoestima muito baixa e já tinha certeza que sua vida seria dessa maneira pelo resto da sua vida. Alguns perguntavam a ela porque não se operava dos tumores, mas era muito mais complicado do que parecia: “Os tumores estão unidos aos nervos, eliminá-los significaria uma paralisia em todo o rosto”. No entanto, o destino de Sophie mudou quando decidiu se aplicar à Universidade de Harper Adams em Shropshire. Ela não imaginava que sua vida iria mudar.

Uma história de superação e um final feliz te esperam na última página!

Christian Dibden
“Quando comecei meus estudos, minha autoestima não existia. O tumor no meu rosto era tão grande que fundia um dos meus olhos e me doía muito”, recorda Sophie. No entanto, durante sua vida universitária encontrou Christian Dibden, 22, um velho amigo seu do secundário. Eles se conheceram pela primeira vez quando tinham 16 anos e eram amigos, mas perderam o contato quando ambos foram estudar em Universidades diferentes. À princípio, a relação deles era só amistosa, mas logo descobriram que tinham algo a mais entre eles. “Depois de percebermos que tinha algo a mais entre a gente, nos encontramos e então tivemos nosso primeiro beijo. Eu gostava muito dele, mas era muito prudente na hora de compartilhar meus sentimentos com ele, já que no passado eu havia sofrido muito”. Com o tempo, eles começaram a namorar “oficialmente” e a partir de então compartilham os fins de semana juntos.

O casal, atualmente, tem já mais de meio ano juntos e Christian não sente nenhum tipo de vergonha ao estar em público com Sophie. Dessa maneira, a autoestima da menina pôde crescer pouco a pouco de novo. Todos merecem ser tratados com respeito e amor, especialmente os que não tiveram uma vida fácil e os que sofrem com condições especiais, como a neurofibromatosis. Porém, ainda temos muito o que aprender sobre o respeito e a tolerância entre todos os humanos como sociedade.

Se você gostou deste artigo, não deixe de compartilhar com teus familiares e amigos e não esqueça de curtir nossa página no Facebook.
Fonte: Facebook - HotSpot Media / Facebook - PFN Breaking News / Facebook - La Camiseta Roja / Starstock / Twitter

21
Apenas os mais espertos são capazes de resolver esses exercícios em menos de...
Apenas os mais espertos são capazes de resolver esses exercícios em menos de 10 segundos
Em muitos casos, tendemos a confundir o QI com o nível de inteligência de uma pessoa, mas estamos enganados. O QI, na verdade, é apenas uma forma abrangente de estimar a inteligência de alguém. De acordo com um número significativo de pesquisas...
O que você acha?! Juntar-se à conversa
Samara Vieira
Samara Vieira 25/06/17 06:03
Pra ver uma matéria você tem que abrir vários links chato demais
Daniel Rodrigues
Daniel Rodrigues 24/06/17 06:03
Sério que pra ver a matéria tem que ficar abrindo várias páginas???? Perdeu meu like .
Cida Cavalcanti
Cida Cavalcanti 24/06/17 06:03
Eu consegui abrir normalmente, tenta de novo, matéria super legal..
Cida Cavalcanti
Cida Cavalcanti 24/06/17 06:03
Eu consegui abrir normalmente, tenta de novo, matéria super legal..
Nita Almeida
Nita Almeida 24/06/17 06:03
Um anjo essa menina.Criticar eh fácil difícil eh estar na pele dela pra saber como eh horrivel sofrer como ela sofre com o desprezo de pessoas idiotas e sem coração...Para mim ela eh linda e gostaria muito de conhecê-la...
Patrícia Mendes Silva
Patrícia Mendes Silva 24/06/17 06:03
Que bom q no final ela superou tudo e encontrou no amigo o amor da vida dela
Otávio De Toledo Nogueira
Otávio De Toledo Nogueira 24/06/17 06:03
O site de vocês é um lixo. Pesado, cheio de propaganda e tem que ficar passando 5 paginas pra ler um artigo que podia ter ficado em uma só Não da vontade nenhuma de abrir
Arleone Gomes
Arleone Gomes 24/06/17 06:03
Aos olhos de Deus ela é perfeita e o que importa..também não vi nada de mais
Maria Lennynha Justino
Maria Lennynha Justino 24/06/17 06:03
Esta página é uma porcaria! Para ler a matéria tem que ficar pulando páginas #afffff perco até o interesse em saber
Fernanda Pinheiro
Fernanda Pinheiro 24/06/17 06:03
E você continua ignorante
Anderson Espirito Santo
Anderson Espirito Santo 24/06/17 06:03
Agora eh a mais feia do universo ...
Anderson Espirito Santo
Anderson Espirito Santo 24/06/17 06:03
Eu sou um príncipe Dinamarquês !!!!!
Anderson Espirito Santo
Anderson Espirito Santo 24/06/17 06:03
Eu sou um príncipe Dinamarquês !!!!!
Rosangela Gomes
Rosangela Gomes 24/06/17 06:03
Vcs enrolam muito...