Incrível!

Publicado 2017-10-14
169 Comentário

7 segredos que os supermercados não querem que os clientes saibam

O hábito de ir às compras, pegar um carrinho, caminhar por todo o supermercado e levar até o que não precisamos é normal. No entanto, cada supermercado é uma máquina especializada em fazer você, o consumidor, sair levando a pior, gastando tanto dinheiro como possível sem nem sequer perceber. Para que isso aconteça, os supermercados têm alguns truques na manga e você precisa ficar atento(a). No artigo de hoje você vai entender que mesmo que a organização das prateleiras pareça aleatória, tudo é muito planejado e está em seu devido lugar por uma razão. Não perca!

1. As filas dos caixas são lentas por uma razão

Todos nós já passamos pela situação de estar com o carrinho cheio e entrarmos na fila do caixa para esperarmos a nossa vez de pagar. No entanto, de repente, percebemos que algo que pegamos não é realmente necessário e queremos coloca-lo de novo no seu lugar. Há aqueles que fazem as pessoas de trás esperarem para colocar de volta no lugar enquanto outros, simplesmente deixam perto do caixa. De qualquer forma, os caixas estão engarrafados por uma razão: se há muita gente esperando, é menos provável que você vá sair da fila para devolver o produto, o que faz você tomar a decisão subconsciente de comprá-lo para não ter que devolver ou de pegar algo que alguém já se arrependeu e deixou por ali.

Nas próximas páginas você vai ver segredos inimagináveis dos supermercados, não perca!

2. Jogar água sobre os produtos não os mantém frescos

É verdade que esse hábito não é tão comum, mas há vezes em que os alimentos do corredor de frutas e verduras estão molhados com água. Isso é outra estratégia de marketing que os supermercados fazem: para começar, jogar um pouco de água por cima dos produtos faz com que fiquem mais brilhantes e também mais apetitosos. Mas, por outro lado, também acaba dando um pouco de peso adicional para que, definitivamente, acabe custando mais. No entanto, não só a água não tem nada a ver com manter os produtos frescos, como também faz com que apodreçam mais rápido.

3. Frutas e verduras são asquerosas

Vale mencionar que em alguns países, esta prática é proibida. No entanto, há muitos lugares, como o Brasil, em que as pessoas podem tocar e pegar as frutas e verduras o quanto quiserem para verificar se estão realmente maduras, muito duras, muito moles ou se têm o aspecto desejado. Você conhece esse momento no qual pega um pêssego, toca-o para ver se está bom e logo o devolve na cesta se não estiver convencido? Imagine a imensa quantidade de pessoas que fazem o mesmo que você, além de suas crianças pequenas. As mãos estão repletas de bactérias (você não sabe o que as outras pessoas tocaram) e quase todas acabam tocando as frutas. Tenha isso sempre em mente.

Veja na próxima página truques psicológicos que fazem você comprar mais!

4. As filas dos caixas são o lugar das tentações

Obviamente, não poderia ser de outra forma. Todas as revistas brilhantes, com imagens que chamam a atenção, doces esquisitos, chicletes de todos os sabores e outros produtos aparentemente inúteis estão na maioria dos caixas por um motivo muito óbvio. Os proprietários dos supermercados sabem que, enquanto você espera a sua vez de pagar, poderia ficar tentado a adquirir algum desses artigos. Admita: você também já se distraiu várias vezes e certamente já pegou algum produto dessas prateleiras. Não é verdade?

5. Fazem “recondicionamento de alimentos”

Basicamente, as empresas de alimentos devem manter seus custos tão baixos quanto possível e, por isso, às vezes, quando a comida está imperfeita ou vencida, são devolvidas ao fabricante para um “recondicionamento”. Às vezes são práticas benignas, como deixar o macarrão mais firme com farinha de semolina. Mas, de vez em quando, é pior do que você imagina, como o momento em que um suco de maçã mofado volta a ser aquecido antes de ser empacotado de novo, ou quando um sorvete de morango vencido é devolvido e é transformado em sorvete de chocolate. Muito nojento!

Os dois próximos truques são fáceis de contornar, não perca a explicação na próxima página!

6. A ordem e o preço

Na maioria das vezes, é complicado controlar a quantidade de comida que colocamos no carrinho ou na cesta de compras, embora seja verdade que podemos decidir que sejam os mais saudáveis possíveis. Para conseguir isso, tente começar suas compras pela parte das frutas e verduras sempre que possível, assim você vai encher o carrinho mais rápido e evitar pegar outras coisas desnecessárias. Por outro lado, quase todos os tipos de alimentos secos, como os cereais, o açúcar, o sal e as especiarias, vêm em marcas “brancas” ou próprias do supermercado, que são muito mais baratas do que as marcas conhecidas, têm um preço muito mais baixo e praticamente as mesmas propriedades. Escolhendo essas marcas, você vai conseguir economizar bastante dinheiro a longo prazo.

7. As etiquetas e os produtos da primeira fila

Para começar, um estudo recente descobriu que até um terço de todos os peixes que encontramos na parte de congelados caros, como o atum, estão sendo substituídos por “similares”. Enquanto que a maioria dos falsificados são seguras para comer, algumas podem causar problemas intestinais graves. Tenha cuidado com isso. Por último, tente pegar sempre os produtos que não estão na primeira fileira, e sim no fundo. Os funcionários colocam os que estão mais próximos de vencer na frente porque precisam se livrar deles, então, se você quer uma data de vencimento um pouco maior, não pegue os primeiros produtos que vir.

Compartilhe estas dicas com todo o mundo e não se esqueça de curtir a nossa página no Facebook!
Fonte: StarStock

642
8 signos do zodíaco que não são compatíveis no amor
O que você acha?! Juntar-se à conversa
Bruno Andrade Santana
Bruno Andrade Santana 07/11/17 07:08
Paulo Henrique corrupto D:
Jully Mattos
Jully Mattos 07/11/17 07:08
Kelly Mattos Ângela Mattos Ivani Mattos Michele Mattos
Flavia Moreno
Flavia Moreno 07/11/17 07:08
Não é esperteza, Kaio... é metodologia de armazenamento. Dá um google e procura por PEPS (em portugues) ou FIFO (em inglês) pra vc entender. ;)
Sonia Russo
Sonia Russo 07/11/17 07:08
Parabéns! Saúde, paz e bênçãos para você!
Flavia Moreno
Flavia Moreno 07/11/17 07:08
Existe, moço... ainda mais se o mercado tiver uma padaria própria, por exemplo. Reembalam e reetiquetam tudinho e as pessoas nem sabem. Esses queijos mais caros (tipo gorgonzola, parmesão, brie) que já estão fatiados e pesados com preço também.
Flavia Moreno
Flavia Moreno 07/11/17 07:08
Sobre o sistema de armazenamento e exposição nas prateleiras: não é malandragem do mercado. É uma metodologia bastante lógica chamada FIFO (First in First Out, ou seja, o primeiro que entra é o primeiro que sai). As pessoas fatalmente fazem em casa. Se você ja tem um saco de arroz na sua despensa e compra um novo no mercado, você vai guardar o recém comprado e vai usar o que já tem no armário. Verifiquem SEMPRE, o consumidor também tem seus próprios interesses e obrigações.
Flavia Moreno
Flavia Moreno 07/11/17 07:08
Exatamente, Daniel... é uma metodologia de armazenamento logístico. Tem nada de proibido não, Elio. O que não pode é ter produto sem data de validade. A obrigação de colocar a data é da empresa e a obrigação do cliente é conferir. ;)
Raianne Abidias
Raianne Abidias 07/11/17 07:08
Tática da página pra ganhar mais visualizações: coloquei uma dica em cada página....
Nályson Albuquerque
Nályson Albuquerque 06/11/17 07:08
Auriane Lima olha o que te falei
Armando Lima
Armando Lima 06/11/17 07:08
Já percebi tudo isso nos supermercado que costumo fazer compras
Tiago Edson
Tiago Edson 06/11/17 07:08
Alguém ouviu falar em P.V.P.S
Notas Do Subsolo
Notas Do Subsolo 06/11/17 07:08
Concordo com você Denner, na verdade a maioria das pessoas são é folgadas mesmo, acham que o mundo está a sua espera, eu tenho vontade de sair chutando gente que entra na fila expressa ( 20 volumes ) com o carrinho cheio, porque não respeitam as pessoas? e depois podem ver outra coisa, são as mesmas pessoas que irão para o estacionamento, tirarão as compras do carrinho e??? colocarão o carrinho atrás do carro ao lado, são ou não são uns filhos da ****? sempre levo meu carrinho ao lugar de origem.
Paulo Roberto Brandt
Paulo Roberto Brandt 06/11/17 07:08
Sobre as coisas fora do lugar, tem uma grande rede de supermercados na minha região(multinacional), que tem dezenas de funcionários para "organizar" as prateleiras de tal modo que as placas de preço estão sempre "deslocadas", ou seja, induzem o cliente à compra ,, porém o preço era de outra pilha... No caixa vc paga o preço que está no sistema...apenas 1% dos clientes descobrem isso e corrigem e pagam o preço correto. Santa Cruz do Sul, RS.
Paulo Roberto Brandt
Paulo Roberto Brandt 06/11/17 07:08
Nem sempre algumas práticas querem lesar o consumidor. Por exemplo, o rodízio na prateleira é bem necessário. Ao contrário, fatalmente, produtos novos e por vencer podem se misturar e "enganar" o consumidor. A crise de alimentos no mundo dita regras bem simples de aproveitamneto sem desperdício. Claro que existem comerciantes parecidos como muitos políticos: sujos e/ou "espertos".
Allan Talma
Allan Talma 06/11/17 07:08
que materia imbecil. Me nego a curtir uma página que considera uma merda de lista dessas como conteúdo interessante.
Beatriz Sena
Beatriz Sena 05/11/17 07:08
Maycon Fernandes Edilene Sena
Igor Ozzmosis
Igor Ozzmosis 05/11/17 07:08
Que reportagem merda,da pra ver nitidamente q eh dos EUA e traduzido porcamente!Nunca vi um mercado q molham os legumes e frutas! Pelo menos em Saúde - São Paulo - SP
Daniel Tiberio
Daniel Tiberio 05/11/17 07:08
Não moço isso não é proibido Esse lance de próximo ao vencimento é tipo assim. Se está p vencer a dois ou três meses colocam na frente. Se chama processo Pepse( primeiro que entra é o primeiro que sai) Isso existe nos mercados uns 50 anos p não ter desperdício de comida.
Milton AlmeidaSilva
Milton AlmeidaSilva 05/11/17 07:08
Catraca Livre está ficando superficial. Várias chamadas são vazias. A matéria não passa de dois parágrafos e não aborda sequer o que sugere no título e fotos.
Fábio Correia
Fábio Correia 05/11/17 07:08
Trabalhei em supermercado, inclusive como repositor, e nunca vi nem ouvi falar de coisas assim. Não tem nada a ver.