Incrível!Controverso

Publicado 2017-10-23
1 Comentário

8 erros históricos muito absurdos nos desenhos da Disney

Não é nenhum segredo que os autores dos desenhos animados produzidos nos estúdios de Walt Disney muitas vezes se baseiam em personagens históricos na criação de suas obras. No entanto, muitos deles confiam tanto no conteúdo de suas animações que acabam misturando fatos reais com ficção e, como resultado, se deixam confundir com facilidade. Os erros nos filmes da Disney às vezes surgem com base em erros comuns, embora, em alguns casos, revelar a verdade ao público seria certamente cruel demais por parte dos produtores. Quais seriam as inconsistências históricas mais evidentes em suas animações? Vamos contá-las aqui!

1. Pocahontas

Ao conhecer um pouco mais sobre a história da valente nativa americana, muita gente percebeu que a Disney costuma distorcer a história para dar um toque pessoal aos fatos. No filme, a filha do cacique se apaixona por um colono inglês, John Smith, embora, na realidade, ela tinha apenas 11 anos quando foi capturada e mais tarde convertida em esposa de um tal John Rolfe. Juntos tiveram um filho chamado Thomas, que, de propósito, chamaram um jovem amigo de Smith, na primeira parte do filme.

Siga adiante para descobrir mais erros históricos descritos pelos autores das animações da Disney.

2. Mulan

A história da princesa Mulan faz parte de uma antiga lenda chinesa e, como se deduz, se passa em algum momento entre os anos 386 e 538 d.C. Na animação, os hunos (povo bárbaro da Ásia Central) tentam se apoderar de uma parte do território do país, assassinando o Imperador. Onde está o erro? Bom, o título de imperador foi utilizado pela última vez a pelo menos um século antes do nascimento da lenda de Mulan e naquele tempo também não existia a Grande Muralha da China, que aparece no filme! Os autores da Disney deveriam dar mais importância aos dados históricos, não é verdade?

3. Valente Merida

A vestimenta de alguns dos personagens não corresponde exatamente à época em que se passa o filme. Com respeito às roupas, os autores do filme confundiram épocas históricas. Segundo historiadores escoceses, os homens no filme pintam os corpos como seus antepassados da Idade do Ferro, enquanto as mulheres usam vestidos e acessórios que costumavam usar entre os séculos XIV e XV. Você também percebeu essa?

Continue conosco e descubra se seu desenho favorito não é uma simples invenção...

4. Hércules

O cavalo alado, Pegasus, não tem sua origem no mito original de Hércules, e o malvado Hades também aparece no filme. Como se não bastasse, o próprio protagonista não foi representado ali conforme sua versão original grega. Segundo conta a mitologia, o herói também chamado de Héracles acabou enlouquecendo e matou sua esposa e filhos de uma maneira muito brutal. Na verdade, ele tinha mais de uma esposa. Está surpreso em saber a razão de omitir algumas partes de sua história?

5. A Bela Adormecida

Há algo no mínimo suspeito na cena final do filme, onde a Princesa Aurora e o Príncipe Felipe dançam juntos no salão do palácio. A fábula deste famoso conto de fadas se passa no século XIV. Portanto, durante aquele período a dança só permitia que as pessoas tocassem as mãos das outras, porém no filme o príncipe abraça a princesa envolvendo-a com um de seus braços ao redor da cintura dela. Isto seria muito inadequado!

Veja a seguir o que acontece em uma das maiores obras da Disney do último século.

6. Frozen

Em uma das obras de maior sucesso dos últimos anos, Elsa usa a expressão frozen fractals (que em português pode ser traduzida como: "Fractais Congelados"). Embora se refira à magia de gelo, cantando sua canção Let It Go (que na versão em português foi interpretada como "Livre Estou"), na realidade, não poderia ter sido real. O termo “fractal” foi adicionado aos dicionários de inglês no ano de 1975 e obviamente não corresponde àquela época. Felizmente, não é considerado um erro nada grave.

7. A Princesa e o Sapo

A animação conta a história de Tiana, uma negra que sonha em abrir seu próprio restaurante em Nova Orleans, na época da segregação racial de Jim Crow. Embora o próprio filme demonstre como sendo somente um sonho, seus planos simplesmente não poderiam tornar-se realidade naqueles tempos terríveis, em que as condições de trabalho dos negros eram tão deploráveis. Inclusive o casamento inter-racial naquela época era considerado ilegal!

Na última página lhe contaremos um segredo de um clássico da Disney. Siga em frente!

8. O Corcunda de Notre Dame

Outra incongruência absurda entre a verdade histórica e a versão da Disney relaciona-se com um detalhe de arquitetura. Enquanto todas as estátuas e detalhes externos da famosa catedral de Paris na animação tenham sido feitos de pedra pura, seu aspecto no século XV (de acordo com o romance de Victor Hugo, no qual se baseia a animação) era muito diferente. Os monumentos que podem ser vistos do lado de fora do prédio eram, na verdade, policromados.

Qual destes exemplos você achou mais chocante? Você já havia notado esses erros ou foi a primeira vez que lhe foram apresentados? Conhece algum outro erro relacionado aos filmes clássicos da Disney? Qual é o seu filme favorito da Disney e o que você menos gosta?

Se gostou deste artigo, nos deixe um comentário, compartilhe com todos e nos acompanhe também no Instagram!
Fonte: Instagram / Twitter

3
Conheça as irmãs Sutherland, as Kardashians do século XVII: 7 mulheres e 11 metros de cabelo ao todo
O que você acha?! Juntar-se à conversa
Mauro Luiz Silva Bastos
Mauro Luiz Silva Bastos 26/10/17 06:03
Sabe o que acho desses tipos de matéria? Acho que quem se preocupa com isso é um **** frustrado, que não teve infância, um babaca que ao invés de sonhar, fantasiar e coisas do tipo, perdeu a infância virando um graveto seco. Matéria idiota.