Incrível!Famosos

Publicado 2017-11-20
1 Comentário

Projeto Montauk: um dos projetos secretos que inspiraram a série “Stranger Things”

Dentre verdades, mentiras, entrevistas e teorias da conspiração, dois supostos experimentos americanos se destacam entre as inspirações para uma das mais populares séries do momento: Stranger Things. O fenômeno da Netflix, aliás, foi anunciado inicialmente com o nome do primeiro sobre o qual vamos falar, o Projeto Montauk. Em outro artigo, falaremos mais sobre o outro polêmico projeto que fazia experimentos em crianças, o MKUltra, da CIA.

Projeto Montauk

As primeiras revelações dessa história foram publicadas em 1982 na série de livros “The Montauk Project: Experiments in Time”, escrito por Preston B. Nichols e Peter Moon. O autor teria recobrado memórias sobre ser uma cobaia em experimentos bizarros. Isso teria ocorrido em um local chamado Camp Hero, uma base da força aérea americana na cidade de Long Island.

Na página seguinte, saiba mais sobre esse misterioso projeto.

Tratado como uma teoria da conspiração, o projeto teria sido desenvolvido durante a Guerra Fria e envolvia buracos de minhoca para viagens entre dimensões e até viagens no tempo. Acredita-se que militares americanos fizeram experimentos em crianças durante décadas. As histórias foram contadas por Al Bielek que, em 1988, aos 57 anos, passou por terapias alternativas para recobrar a memória. Assim, se lembrou que seu nome era Edward Cameron e que ele havia trabalhado em um experimento chamado “The Philadelphia Experiment”.

Segundo os relatos, ele tinha um irmão chamado Duncan Cameron e os dois estavam trabalhando juntos em um navio na década de 40, quando estavam sendo feitos experimentos para tornar os transportes americanos invisíveis a radares de países inimigos.

Saiba as consequências desse experimento na página seguinte.

Nesse processo, o navio foi sugado por um buraco de minhoca que levava para a 1983, até o Camp Hero, em Montauk. Eles foram enviados imediatamente de volta para onde vieram com apenas uma missão: destruir o navio. Contudo, os experimentos não acabaram por aí. No início dos anos 60, Edward Cameron convenceu o pai a ter outro filho para poderem portar a consciência do Duncan de 1983, seu irmão, para o corpo da criança nascida em 1963. Acontece que, no experimento, o menino acabou adquirindo poderes psíquicos e se tornou o foco dos experimentos em Montauk.

Segundo os relatos, o garoto conseguia ver com os olhos de outras pessoas quando estava segurando uma mecha de cabelo ou objeto semelhante. Ele também conseguia manipular objetos sem tocá-los ou até materializar algo apenas com a mente.

Na página seguinte, saiba como acabaram esses experimentos.

Após vários experimentos com o menino e com outras crianças, era possível viajar com mais facilidade e frequência para outros tempos e espaços, até para Marte. Quatro cientistas, percebendo a periculosidade do projeto, decidiram fechá-lo. Para isso, usaram o jovem Duncan para materializar um monstro na base enquanto os cientistas quebravam o equipamento. O primeiro piso do local foi cimentado.

Hoje, há um parque onde foram os supostos experimentos, então qualquer um pode ir até lá para fazer suas próprias pesquisas sobre a realidade por trás dessas histórias. Apesar de Stranger Things não ter usado todos os elementos dos relatos de Edward, ainda há pelo menos mais 2 temporadas para eles fazerem isso!

Se gostou deste artigo, nos deixe um comentário, compartilhe com todos e nos acompanhe também no Instagram!
Fotos: Twitter/Pixabay

4
Tatuador brasileiro faz fama internacional por cobrir estrias, olheiras e cicatrizes
O que você acha?! Juntar-se à conversa
Carol Bittencourt
Carol Bittencourt 21/11/17 07:03
Bárbara Sá Vieira Gabriela Bittencourt Vocês que amam essa série