3 Comentário

Mãe convence homem a não estuprá-la na frente do filho em um parque

Ataques sexuais

O horror de um estupro é um medo comum a todas as mulheres, independente de nacionalidade, raça ou religião. Contudo e infelizmente, como diz o ditado, nada há tão ruim que não possa piorar e, às vezes, o crime é realizado com maldade extra, como ameaçar, maltratar ou colocar em cárcere um ente querido na frente de algum familiar. Ao contrário de muitas outras pessoas, principalmente mulheres, que passaram sobre isso, uma inglesa conseguiu escapar desse pesadelo.

O caso

O nome e a imagem dela não foram revelados por questões jurídicas e legais, mas a história dela ficou famosa no país. Tudo começou quando ela, uma mulher com 20 e poucos anos, levou o filho de 2 anos para um passeio em um parque chamado Stalybridge Country Park, que fica na cidade de Great Manchester, no Reino Unido.

Continue lendo essa história na página seguinte.

O ataque

Tudo aconteceu em agosto, enquanto o filho dela estava brincando em um pequeno córrego por ali. De repente, ela foi surpreendida por Aaron Graham, um jovem de então 17 anos de idade que estava portando uma faca. Pronto para cometer o crime, ele atacou a mulher e começou a ameaçá-la e a tirar a roupa dela. A criança, que estava do lado, ficou em choque quando viu que a mãe estava sendo atacada. Vendo isso, a mulher sabia que precisava agir.

Manteve a calma

Mesmo desesperada, ela surpreendentemente conseguiu permanecer calma e começou a gentilmente tentar convencer o homem a parar, já que o filho dela estava olhando. Ela não demonstrou desespero e manteve a calma mesmo com a agressividade de Graham.

Na página seguinte confira como terminou essa história.

A desistência

Depois de pouco tempo, o estuprador ficou frustrado por não conseguir logo o que queria, largou a mulher, pediu desculpas pelo que havia feito e fugiu. Assim que ele foi embora, o desespero enfim tomou conta dela e ela começou a chorar, pegou o filho e foi buscar ajuda com um grupo de pescadores que estavam por perto. Ela contou a história para as autoridades e, após passar a noite em um celeiro, Graham acabou sendo preso.

A condenação

Apesar de negar ter cometido esse crime e mais outros três estupros dos quais estava sendo acusado, ele acabou sendo considerado culpado após um julgamento. Por sofrer de esquizofrenia e déficit de atenção, ele foi internado em uma clínica psiquiátrica.

Na página seguinte, veja o que o juiz decidiu em relação à mulher.

Recompensa

No tribunal da cidade de Great Manchester, um juiz chamado John Potter tomou uma decisão peculiar de conceder à mulher a quantia de mil libras, o equivalente a cerca de 4,3 mil reais, pelo ato de bravura. A quantia saiu dos cofres públicos. Na decisão, o juiz destacou que o exemplo da maneira altruísta como protegeu o filho durante um ataque que teve que suportar deve ser seguido por todos. Ele disse ainda que a quantia era pequena para seus atos excepcionais.

Ele falou que o crime de Graham foi muito cruel e a coragem da mulher foi o que impediu o ataque a ela e o trauma mental no filho. Infelizmente, nem todos os ataques do tipo são ou podem ser evitados e ainda há quem fale que o medo das mulheres é bobagem. Qual a sua opinião sobre isso?

Se gostou deste artigo, nos deixe um comentário, compartilhe com todos e nos acompanhe também no Instagram!
Fotos: Pixabay

5
Teste da esquisitice: os 18 traços apontados pela ciência
O que você acha?! Juntar-se à conversa
Cá Barchi
Cá Barchi 10/12/17 07:03
Verdade! Não combina com a ideia da página! Concordo!
Bárbara da Costa
Bárbara da Costa 10/12/17 07:03
Muito bom ato de coragem, mãe é isso mesmo se colocar em risco para defender o filho parabéns a essa mãe e bem merecido o reconhecimento
Giseli Rodrigues
Giseli Rodrigues 09/12/17 07:03
Quem que tem curiosidade de ler uma história de estrupo, fala sério
Cá Barchi
Cá Barchi 10/12/17 07:03
Verdade! Não combina com a ideia da página! Concordo!