Incrível!Dicas

Publicado 2018-02-11
2 Comentário

As técnicas de autodefesa que todos precisam saber

Há muitos esforços que, na mente de todas as sociedades desenvolvidas, estão atualmente focados na tentativa de minimizar a violência que pode surgir por entre os diferentes indivíduos que a integram, devido ao evidente efeito negativo que tais atitudes podem causar e, desta forma, impossibilitar uma coexistência saudável e harmoniosa. Apesar desses esforços, que são principalmente articulados através de mecanismos que apelam fundamentalmente para o lado racional do ser humano, como os de natureza preventiva (educação) ou de caráter coercivo (leis, sanções), as pessoas também desfrutam de um lado animal profundamente enraizado e repleto de instintos perigosos, que, às vezes, ganha o jogo e se manifesta por meio de expressões de risco, como o uso da violência física. Como explicar o quão comum se tornaram atitudes tão contraditórias quanto o uso da agressão física que muitos fãs de qualquer equipe de futebol decidem adotar todos os fins de semana para enfrentar os fãs da equipe rival? Sendo evidente o dano físico e mental ao qual nos expomos quando nos envolvemos em uma briga, que sentido faz participar de uma se já sabemos que vamos todos nos ferir?

Em consonância com questões como a que precede, não é errado afirmar que a violência se esconde em todos os cantos e, de alguma forma, mesmo quando temos a sorte de viver em países desenvolvidos, corremos o risco constante de sofrer sérios danos. Assim, parece evidente que para garantir nossa segurança é necessário possuir noções sobre defesa pessoal. Como sabemos que a vida real não é um filme e, em caso de necessidade, você provavelmente não tem a sorte ou a oportunidade de escapar de seus oponentes, tomando vôo ao estilo de Superman ou usando superpoderes assim como os nossos preferidos heróis da ficção, Wolverine ou Homem Aranha, aqui nós lhe damos algumas dicas que, sem dúvidas, vão te livrar de situações de risco a nível de um lutador profissional.

Para saber mais, continue lendo!

1. Prevenção, a técnica da autodefesa por excelência

Por mais óbvio que possa parecer, não devemos ignorar aquela que, sem dúvida, deve ser assumida como a melhor orientação para evitar a agressão física: se prevenir. Ao nos defendermos, devemos partir da base de que a melhor maneira de ter sucesso em qualquer contexto que nos expõe a riscos, é precisamente evitar um confronto direto. O primeiro conselho para alcançar esse objetivo será sempre evitar ser percebido como fraco ou incapaz de nos defender contra potenciais agressores. Para isso, devemos ter em mente fatores de observação de preparação física e psicológica.

Mas, como já dissemos, não só a nossa aparência física externa é essencial para alcançar um aspecto que se encaixe nos cânones da força a que nos referimos, pois é claro que o que também irá contribuir é a nossa postura. Devemos emanar segurança por meio de atitudes que demonstram o quão bem lidamos com as diferentes situações do nosso dia a dia e que em muitas ocasiões será de vital importância para manter distantes aqueles que podem nos gerar algum problema.

Entenda melhor nas próximas páginas!

No entanto, além dos fatores de preparação física e psicológica previamente recomendados para evitar a agressão, há também uma série de medidas preventivas relacionadas à vigilância e ao conhecimento do nosso ambiente, que exigem menos preparação e que podemos colocar em prática imediatamente em nosso dia a dia sem complicações excessivas. Nos referimos ao monitoramento de medidas de segurança simples, como as seguintes:
- Não siga padrões de comportamento repetitivos em sua vida diária. Devemos tentar ser imprevisíveis para quem poderia planejar atacar nossa integridade física;
- Tente não caminhar em becos escuros ou mal iluminados, especialmente durante a noite. A ausência de luz sempre será um elemento a favor daqueles que planejam um ataque surpresa contra nós.

- Evite o uso de bolsas ou jóias caras e, em especial, tente não deixar os seus pertences de valor à vista;
- Monitore os arredores sempre que tiver que abrir seu carro ou quando estiver chegando em casa;
- Estacione o seu veículo em áreas com boa iluminação, sempre mantendo as chaves na ponta dos dedos durante todo o caminho até o carro. Não fique procurando suas chaves nos bolsos, bolsas ou mochilas, pois este é um fator de distração que parece facilitar o trabalho dos possíveis inimigos.

Você quer mais dicas? Então pressione página seguinte.

Às vezes, mesmo quando tomamos todas as precauções necessárias, a vida nos coloca em situações de inevitável conflito. Nestes contextos, o melhor conselho é tentar manter a tranquilidade e compostura, pois esta é a única forma pela qual daremos ao nosso cérebro a oportunidade de avaliar rapidamente a situação e tomar a melhor decisão possível. O objetivo é não se precipitar, mas ao mesmo tempo não congelar. Para fazer isso, devemos colocar as possibilidades em equilíbrio, tais como persuadir nosso adversário a mudar de ideia sobre as suas intenções iniciais, tentar fugir ou até mesmo aderir ao pedido que este indivíduo tenha formulado, especialmente nos casos em que seja um assalto. Nenhum de seus objetos mais preciosos tem tanto valor como a sua própria vida. Lembre-se disso!

Somente quando realizada a operação de cálculo acima mencionada e chegada a conclusão de que não teremos como evitar o confronto físico, é que devemos recorrer às técnicas de autodefesa, como as que mostraremos abaixo. Nosso objetivo é tentar fornecer aos nossos leitores algumas noções básicas com as quais eles serão capazes de se levantar em qualquer situação de risco inevitável e de praticamente qualquer tipo de agressor, sem a necessidade de tomar aulas ou seguir qualquer treinamento rigoroso.

Continue com a leitura!

2. Impulso forte e retrocesso

Em primeiro lugar, é recomendado adotar um grito como “pra trás!” ou “atrás!”, com o qual damos alertas aos que estão a nossa volta e que, por ventura, possam nos ajudar ou para demonstrar ao oponente a vontade de impedir que o seu objetivo se cumpra enquanto, simultaneamente, empurramos o nosso adversário com toda a nossa força apoiando nossos pés um pouco para trás, pois assim conseguimos alcançar a porcentagem máxima de nossa força. Para alertar a todos do risco iminente, também é recomendado portar um apito de emergência que pode aumentar a eficácia da chamada de socorro. Com esta rápida e imediata sucessão de ações, aumentaremos significativamente nossas chances de afastar aqueles que nos atacam. Se você não atingir esse objetivo, você conseguiu pelo menos alguns segundos valiosos que podem ser utilizados a seu favor.

3. Golpeando regiões estratégicas

A partir deste momento, a melhor defesa é concentrar-se nos pontos fracos do nosso adversário, que tendem a ser os mesmos no caso de qualquer pessoa, independentemente das possíveis diferenças físicas. Neste ponto do confronto, você deve focar as agressões para:
- Os olhos: acertar ou aplicar algo nos os olhos não só produzirá dor intensa em nosso atacante, mas também irá desorientar severamente;
- O nariz: tendem a recomendar o uso dos punhos para atacar esta área, mas a verdade é que, considerando as possíveis falhas que este golpe possui, o que é mais recomendado é principalmente atacar o nariz usando a palma da mão para causar um forte impulso contra o rosto do atacante.

Na próxima página, conheça outros pontos fracos.

- As orelhas: embora pareça que elas não são pontos fracos, a verdade é que devem ser levadas em consideração! Uma forte bofetada com a palma de nossas mãos em cada orelha do adversário, simultaneamente, o desorientará e irá forçar nosso oponente a inclinar a cabeça gerando uma oportunidade de aplicarmos golpes sucessivos;
- Pescoço e garganta: aqui as principais veias (jugular e carótida) estão expostas. São as principais rotas de acesso do sangue ao nosso cérebro, razão que explica a sua grande importância. Use sua mão para acertar esta região, como se quisesse a quebrar. Todos os seus dedos devem ser mantidos retos e apertados com o polegar para baixo e ligeiramente dobrados na articulação. O golpe deve ser curto e forte. Se a garganta for exposta, tente a acertar com o cotovelo ou a estrangular para evitar a circulação sanguínea e também causar problemas respiratórios.

- Tronco: outro ponto fraco a se considerar é o tronco. Se o seu oponente é um homem com altura suficiente, recomenda-se bater forte nessa região com o cotovelo ou o punho, aproveitando as instalações dadas pela altura para chegar ao lugar acima mencionado;
- Virilha: a verdade é que a virilha é mais do que um clássico entre as fraquezas geralmente conhecidas pelos homens. Sua eficácia é real. O atacante levará algum tempo para se recuperar de uma boa lesão na virilha, o que lhe permitirá ficar seguro ou receber ajuda.

Não perca a última página do nosso post!

- Joelhos e pernas: você deve realizar ataques rápidos e concisos no joelho ou na canela, evitando sempre que o adversário mantenha seu pé no caminho da sua ação.
- Criatividade: outro excelente conselho é sempre ter criatividade em mente. Obviamente, é um pouco difícil se concentrar quando você está sob ameaça, mas com autocontrole e calma, você pode pensar nos melhores e mais assertivos modos de ataque, a fim de desorientá-los.

Use tudo o que tiver ao seu alcance em seu favor, como chaves ou pedras, e garanta a sua vitória em seus confrontos.
Aqui, nós deixamos um tutorial valioso sobre como pôr em prática algumas das lições que mostramos ao longo do artigo, visando lhe ajudar a se defender de bandidos dos mais diversos tipos. Queremos ressaltar que nós não apoiamos a violência em nenhum caso, mas diante da sociedade em que vivemos, há situações em que somos obrigados a nos defender.
Se gostou deste artigo, nos deixe um comentário, compartilhe com todos e nos acompanhe também no Instagram!
Fonte: Pixabay/ StarStock/ Unsplash/ Youtube

9
O que você acha?! Juntar-se à conversa
Família sai do carro para fotografar guepardos soltos em um safári. O que poderia dar errado?
15/02/18 07:03
Não será só com a internet que irão aprender.
15/02/18 07:03
Samira Souza, Bia Lima