0 Comentário

Síndrome rara deixa menina com cabelo igual ao de Albert Einstein

Imagina você não conseguir fazer um penteado ou apenas querer desembaraçar os próprios cabelos e não conseguir de modo algum? Pois é, acontece que isso é uma característica de uma síndrome chamada de cabelo impossível de se pentear. E é justamente por causa desta característica que uma menina de Chicago, nos Estados Unidos, tem chamado a atenção nas redes sociais. O visual da garotinha fez com que ela recebesse o carinhoso apelido de “Einstein 2.0”. E o nome da síndrome é bastante autoexplicativo.

O nome da pequena é Taylor McGowan e é uma das apenas 100 pessoas que possuem a síndrome do cabelo impossível de se pentear (UHS em inglês). A causa da cabeleira diferenciado de McGowan é uma mutação genética que deixa o cabelo com aspecto espetado e muito seco (desidratado). E não importa qual produto os pais decidam testar em suas madeixas, o cabelo não muda o seu aspecto.

Dados por vencidos, os pais de Taylor, perceberam que a garotinha não gostava de se pentear, provavelmente por conta da dor, por isso começaram a deixar o cabelo dela natural e solto. Anteriormente, os pais haviam testado vários produtos para dar um jeito no cabelo da filha, mas nada resolveu. Foi aí então, que eles desistiram da ideia de querer mudar o cabelo da pequena, o aceitaram, e, logo depois, a fantasiaram de Albert Einstein para o Halloween. E não é difícil prever o sucesso que seria.

Cara e Tom McGowan, os pais de Taylor, resolveram consultar uma especialista no assunto Regina Bertz. Ela mora na Alemanha e confirmou que realmente tratava-se de um caso muito raro. Existem apenas 100 casos como da pequena Einstein no mundo. Mas, infelizmente, a aparência do cabelo da menina traz alguns empecilhos para o casal realizar tarefas básicas do dia a dia. Uma delas é ir ao supermercado sem serem notados.

Embora a maioria dos comentários sejam positivos, há pessoas muito agressivas na hora de falar do cabelo da criança. Em uma das vezes, sua mãe, Cara, disse que uma mulher apontou o dedo para Taylor, riu e ainda disse que o seu cabelo era muito engraçado. Aquilo deixou a família muito triste, pois é um tipo de bullying e um retrato do que a menina terá que passar durante toda a sua vida. Pensando nisso, seus pais, tem postado fotos em uma página no Facebook que criaram para a menina chamada: Baby Einstein 2.0.

A função da página é conscientizar que as pessoas são diferentes e devem ser mais respeitadas. A página no Facebook prega exatamente isso a partir das fotos da meninas. Em uma das publicações, datada de 18 de janeiro, os pais divulgaram uma imagem em que Taylor aparece com o cabelo para e fazem um resumo do que levou com que eles fizessem a página para a menina.

A legenda da foto muito bonitinha traz a seguinte legenda: “Minha mãe acredita na conscientização das pessoas sobre a minha síndrome, assim como a educação sobre o bullying e para a aceitação de qualquer pessoa que pareça diferente. Ela também quer dar apoio ao meu processo de aceitação com o meu corpo”. Com certeza, para a pequena Taylor, esse apoio dos pais será muito importante durante o seu crescimento e para sua auto-aceitação enquanto uma pessoa diferente.

Síndrome do Cabelo Impossível de Pentear

A síndrome foi descoberta em 1970, mas por conta de pais não considerarem um cabelo rebelde um grande problema, não foi possível pensar em um estudo mais completo. Mas atualmente, já foram feitos estudos e concluíram que ela está ligada a mutações nos genes que regulam a formação da haste capilar. A síndrome tem sido usada para pesquisas referentes à calvície. Na maior parte dos casos, a síndrome persiste na infância, mas desaparece com o início da puberdade.

Se gostou deste artigo, nos deixe um comentário, compartilhe com todos e nos acompanhe também no Instagram!
Fotos: Facebook

0
O que você acha?! Juntar-se à conversa
Os Romances de LUKE PERRY, O Dylan de Barrados no Baile