0 Comentário

Lâmpada que funciona desde 1901 bate recorde nos Estados Unidos

Chamada de lâmpada centenária, ou em inglês Centennial Bulb, ela tem uma página na internet e ainda um perfil no Facebook só para ela. E o mais incrível é que ela ainda tem uma câmera que a filma dia e noite. O objeto encontra-se no Livro Guiness dos Recordes por ser o mais antigo foco de luz elétrica do mundo. A celebridade encontra-se em uma unidade dos bombeiros em Livermore, no estado da Califórnia, nos Estados Unidos. Ela já é usada desde 1901, para que os bombeiros pudessem estar prontos assim que recebessem as chamadas.

Segundo consta a história, a lâmpada foi um presente de um empresário e foi fabricada à mão por uma empresa especializada. E aí passou-se muito tempo, e somente algumas faltas de energia e duas mudanças de endereço dos bombeiros foram responsáveis por tirar o brilho da lâmpada. Quando completou 100 anos em 2001, ela pôde então receber o título de Lâmpada Centenária.

Quando os bombeiros precisaram mudar-se pela segunda vez para uma nova unidade, o governo da Califórnia estudou uma grande ação para manter o bom estado de conservação da lâmpada. Uma das primeiras medidas foi a de cortar o cabo, para que ela não quebrasse se viessem a desenroscá-la. Depois disso, ela foi escoltada até a sua nova morada. Na época, contou-se um total de 22 minutos em que a lâmpada ficou sem funcionar. Por conta dos seus 117 anos de vida, começaram a surgir dúvidas de como ela ainda não esgotou a sua vida útil.

Bom, a lâmpada foi fabricada em 1897, a mão, pela Shelby Eletronic Company, que já deixou de existir há algum tempo. O fundador, Adolphe Chaillet era um rival de Thomas Edison, inventor da lâmpada elétrica. A lâmpada centenária tem 8 cm e formas arredondadas e afirma-se que ela tinha 30 watts de potência, mas ao passar dos anos, ela enfraqueceu e hoje tem algo equivalente a 4 watts.

Para uma especialista chamada Debora Katz, da Academia Naval dos EUA, a sua comparação entre outras três lâmpadas da mesma época do que a recordista, revelou dois diferenciais que podem ser a peça-chave para que ela funcione há tanto tempo. Uma das primeiras descobertas é que o filamento é 8 vezes mais robusto do que o de uma lâmpada moderna. E a outra descoberta é a de que o filamento feito de carbono é semicondutor. E assim quando esquentam tornam-se condutores mais frequentes e em lâmpadas modernas, elas perdem a potência quando aumentam a temperatura.

Outros estudiosos também afirmam que o fato da lâmpada nunca ser apagada contribuiu para sua vida longeva. O que acontece é que o nosso hábito de apagar as luzes faz com os filamentos aqueçam e esfriem fazendo que a duração de uma lâmpada incandescente diminua. Mas mesmo com todas estas teorias, continua sendo um mistério pensar que o objeto tem 117 anos de atividade.

A lâmpada já até virou alvo de filme, um documentário espanhol, de 2010, chamado "A Conspiração da Lâmpada de Luz". No filme, é abordado o tema "obsolência programada" ou seja determinados objetos tem a sua vida útil limitada e programada. De acordo com o diretor, Cosima Dannoritzer, inventores como Chaillet se preocupavam com a qualidade do produto de modo que ele tivesse uma duração longa. Enquanto isso, foi assinado um acordo em 1924, no qual fabricantes estabeleciam quanto duraria um objeto qualquer.

Hoje, as nossas lâmpadas de LED costumam ter uma vida útil de 25 mil a 50 mil horas, beirando 15 anos de uso, enquanto as fluorescentes duram até 6 mil horas, cerca de 7 anos de uso, e o terceiro lugar fica com as incandescentes que costumam ir para o lixo quando completam cerca de 1000 horas. E a famosa Lâmpada Centenária vai durando muito mais do que qualquer outra que utilize a tecnologia atual.

Se gostou deste artigo, nos deixe um comentário, compartilhe com todos e nos acompanhe também no Instagram!
Fotos: Twitter

3
O que você acha?! Juntar-se à conversa

Alguns recordes bastante inusitados do Livro dos Recordes