0 Comentário

O real Jack Dawson: o passageiro que inspirou o filme Titanic

Há um túmulo em Halifax bastante modesto comparado com o de muitos de seus companheiros, todos vítimas da catástrofe do RMS Titanic. Aquela pedra do Fairview Lawn Cemetery, na Nova Escócia, tem o número 227, a data da catástrofe e a inscrição de um nome: J. Dawson. Durante anos, foi apenas mais um nome, até que um blockbuster de filmes de 1997 levou a catástrofe do Titanic de volta à vanguarda da consciência pública. E foi um evento terrível...

O real Jack Dawson: o passageiro que inspirou o filme Titanic 1

O nome J. Dawson não importava em nada no mundo até que o diretor de cinema James Cameron transformou o personagem fictício de Jack Dawson em uma ferramenta muito eficaz para essa história de amor atingida pelo gelo. E é que Leonardo DiCaprio quebrou algo mais do que o coração de sua namorada na tela grande, a passageira fictícia de primeira classe Rose DeWitt Bukater, interpretada por Kate Winslet. Mas qual é a verdadeira história de Jack Dawson? Nós vemos isso aqui...

O real Jack Dawson: o passageiro que inspirou o filme Titanic 2

Não perca o novo vídeo do nosso canal do Youtube! Quantas teorias da conspiração loucas você já ouviu ao longo da vida? Provavelmente várias, umas mais convincentes que outras. Muitas têm fundos de verdade e, por mais que seja difícil acreditar, algumas acabaram sendo comprovadas verdade ao longo da história. É sobre essas que vamos falar neste vídeo. Confira:

Sites como o Encyclopedia Titanica estavam cheios de comentários perguntando se Jack e Rose eram realmente pessoas reais, se eles existiam na face da terra. O túmulo tornou-se um templo de emoção adolescente. O corpo dessa pessoa recuperado pelo Mackay-Bennett e enterrado em um buraco no Canadá, em 8 de maio de 1912, era agora alguém importante. Graças a isso, muitos tributos florais apareceram ao lado da lápide de Jack Dawson.

O real Jack Dawson: o passageiro que inspirou o filme Titanic 3

Um documentário do Discovery Channel foi lançado nos EUA em janeiro de 2001, abordando essa questão. Essa foi a base de novas pesquisas que são discutidas no famoso livro "Os irlandeses a bordo do Titanic", o primeiro texto que fala com grande extensão sobre a verdadeira identidade do corpo número 227. Muitos outros detalhes foram descobertos na pesquisa adicional desde então. Este era Jack Dawson e esta era a sua história peculiar...

O real Jack Dawson: o passageiro que inspirou o filme Titanic 4

Acreditava-se que Jack era um passageiro, mas na verdade seu macacão e outras roupas que usava quando seus restos mortais foram recuperados o identificaram como um membro da tripulação. Além disso, J. Dawson era um trabalhador bastante humilde, que era responsável por levar o carvão aos trabalhadores dos fornos. Basicamente, o dia a dia deles era sobre a manutenção dessas montanhas negras, que deveriam estar sempre no mesmo nível, já que os desequilíbrios poderiam afetar a estabilidade do navio.

O real Jack Dawson: o passageiro que inspirou o filme Titanic 5

Quando o impacto ocorreu, Dawson teve tempo de levar sua bagagem pessoal e seu cartão de identificação. Os documentos encontrados mostraram que Dawson era um menino de 23 anos, muito mais jovem do que os marinheiros de 30 anos que se recuperaram do Oceano Atlântico. Seu endereço também foi encontrado: Briton Street 70, Southampton, e sua cidade natal aparece como Dublin, na Irlanda. Além disso, há muitas outras coisas, que não são as mesmas que você viu no filme...

O real Jack Dawson: o passageiro que inspirou o filme Titanic 6

Em Dublin, havia um lar de idosos, onde o mais antigo membro sobrevivente da família Dawson viveu até a idade de 88 anos. E é que May Dawson nasceu no ano da tragédia do Titanic, em 1912. Ela relembra as histórias de Joseph Dawson, o membro da família que embarcou no maior navio da época. Este operário dos altos-fornos assinou com sua primeira inicial, em vez do primeiro nome, identificado com um claro "J", exatamente como fez quando viajou no RMS Majestic, anos antes do Titanic.

O real Jack Dawson: o passageiro que inspirou o filme Titanic 7

Como é possível que Joseph Dawson, um homem de família, tenha deixado sua cidade natal e embarcado no "Queen of the Seas" (na tradução literal: "Rainha dos Mares")? É uma história ainda mais fascinante do que o que envolve seu nome inventado, Jack Dawson. As semelhanças entre realidade e ficção são surpreendentes, no entanto, ambos eram jovens sem dinheiro. Um deles era um trabalhador de carvão; o outro, um personagem que usava carvão para atrair mulheres bonitas.

O real Jack Dawson: o passageiro que inspirou o filme Titanic 8

Depois de conversar com sua família, ele decidiu sair em poucos anos. Por um tempo ele ouviu falar de grandes transatlânticos prometendo um bom salário para aqueles que não tinham medo de trabalhar duro. Na verdade, há um certificado temporário de embarque que foi feito em Netley em 30 de junho de 1911 e está disponível até hoje. Você pode ler: "O número 1854, J. Dawson, está esperando por uma autorização de descarga de 1 de julho de 1911 a 20 de julho de 1911."

O real Jack Dawson: o passageiro que inspirou o filme Titanic 9

Mas havia outro motivo para embarcar no navio. Nos dias anteriores, quando passeava por alguns bares e pubs em Southampton, Dawson conhecera a pessoa encarregada dos fornos de um navio, John Priest. E o mais importante, ele também conheceu a atraente irmã de Priest, Nellie. O jovem Joseph Dawson, portanto, começou a cortejar a dama, que também ia embarcar no navio, por isso decidiu-se imediatamente viajar pelo Titanic. Seu destino não foi o melhor, como já sabemos, mas esta é a sua história.

Se gostou deste artigo, nos deixe um comentário, compartilhe com todos e nos acompanhe também no Instagram!
Fotos: StarStock / Imgur

O real Jack Dawson: o passageiro que inspirou o filme Titanic 10

Não perca o novo vídeo do nosso canal do Youtube! Todo mundo tem gripe um dia e sabe que ela é chatinha. Você espirra por uns dias, nariz escorrendo, garganta coçando, às vezes passa um dia com febre e depois volta para a vida normal. Infelizmente, não é assim para todo mundo. Além de pessoas no grupo de risco morrerem com a doença, as autoridades estão lutando para combater as fake news, que são responsáveis por aumentar o número de falecimentos anualmente. Mais e mais pessoas acabem entrando nos grupos de risco ou sofrendo por pura ignorância. Confira neste vídeo por que, em pleno século XXI, 650 mil pessoas morrem por ano por causa da gripe:

16
O que você acha?! Juntar-se à conversa

8 famosos que já estiveram à beira da morte