Incrível!Histórias reais

Publicado 2018-10-09
0 Comentário

Pessoas estão caindo no vão entre os trens e plataformas na região do ABC

Todas as pessoas que já pegaram um trem ou metrô pelo menos uma vez na vida sabe que existe um espaço entre a passarela e os trens com a qual devemos tomar muito cuidado, pois é bastante perigoso e um acidente assim pode acabar sendo fatal. Isso, apesar dos avisos constantes nas plataformas de trens não só no Brasil, mas no mundo todo, acontece com mais frequência do que o que seria um E no estado de São Paulo isso não é diferente, de acordo com dados da própria CPTM.

Pessoas estão caindo no vão entre os trens e plataformas na região do ABC 1

Somente na região do ABC, o número de pessoas que sofreram esse tipo de acidente foi de 42 pessoas, no ano de 2017. Esse número é mais que o dobro registrado em 2016, que foi de 18 ocorrências. Isso se deve ao espaço fora do normal que existe entre os trens e 7, das nove plataformas das paradas da região. Segundo a regra, elas poderiam ter até 10 centímetros, mas em alguns casos esse espaço chega a 30 centímetros. Esse espaçamento é definido pela ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas).

Pessoas estão caindo no vão entre os trens e plataformas na região do ABC 2

A pior situação acontece na estação Prefeito Celso Daniel, na cidade de Santo André, onde segundo informações, no ano passado, 17 pessoas caíram nesse espaço entre o trem e a plataforma. Com um volume de 55 mil passageiros por dia, o espaçamento entre trem e plataforma é de 19 centímetros! E nos horários de pico, quando há mais empurra empurra, a possibilidade de alguém tropeçar e acabar caindo nesses vãos é bem maior. A estação é a que recebe o maior número de passageiros da região.

Pessoas estão caindo no vão entre os trens e plataformas na região do ABC 3

A situação porém também é comum em estações com o número de passageiros bem menor, como é o caso da Estação Rio Grande da Serra, que recebe 8.800 passageiros por dia, mas que no ano passado registrou 11 casos de queda. Isso porque lá o espaço entre o trem e a plataforma é de 29 centímetros. isso equivale a um pé tamanho 40! Segundo a CPTM isso acontece porque os trens de carga e os de passageiros utilizam a mesma linha, e caso o vão fosse diminuído, os trens de carga não passariam pelas plataformas.

Pessoas estão caindo no vão entre os trens e plataformas na região do ABC 4

Não perca o novo vídeo do nosso canal do Youtube! Sabe aquela ideia que as pessoas têm de filme de Bang-Bang com um caubói forasteiro habilidoso duelando com um assaltante de banco no meio da cidade? Ou de pessoas brigando em bares e sendo arremessadas na água dos cavalos? Bem, talvez não tenha sido bem assim... Confira neste vídeo os mitos em que muitos acreditam sobre o Faroeste, mas estão longe da realidade:

Em diversos países, muitas pessoas preferem viajar de trem do que de carro, já que pode ser uma ótima experiência para se observar a natureza e diferentes paisagens, especialmente em viagens de longas distâncias. No entanto, embora seja considerado um dos meios mais seguros, por vezes, o trem precisa passar por alguns trechos muito perigosos, pondo em risco todos os embarcados ali. Quer saber onde estão as 9 vias de trem mais perigosas do mundo? Então, confira a seguir!

1. Chennai-Rameswaram, Índia

1. Chennai-Rameswaram, Índia

Uma ponte marítima de 2,06 km faz parte da rota ferroviária que liga a cidade de Chennai com a zona de peregrinação Rameswaram, na ilha de Pamban, sul da Índia. A ponte ferroviária Pamban foi construída em 1914 sobre o Oceano Índico e a parte central da mesma está aberta para permitir o tráfego de navios e outros transportes náuticos. Apesar de sustentar 145 pilares de concreto, as fortes correntes oceânicas e ondas do mar, bem como ciclones, muitas vezes representam uma séria ameaça tanto para a ponte como para o trem, chegando a ser inundado inúmeras vezes.

1. Chennai-Rameswaram, Índia 1

2. Aso Minami, Japão

Aso Minami é a via ferroviária mais perigosa do Japão devido à sua proximidade ao Monte Aso, maior vulcão ativo do país, que atravessa a região de Kumamoto, conectando Station Takamori ao Minamiaso Tateno. Os trilhos do trem estão ao lado do vulcão e os visitantes estão sempre sujeitos a testemunhar uma erupção a qualquer momento. A lava quente é normalmente vista queimando o bosque que cerca as vias e os visitantes podem ver o vapor saindo do vulcão durante o outono.

2. Aso Minami, Japão

3. Nariz do Diabo, Equador

Se trata de um trecho de 12 quilômetros entre Alausí e Sibambe, na cordilheira dos Andes do Equador, que foi construído em torno do Condor Pununa em 1902 como parte da ferrovia Quito-Guayaquil. A seção do "nariz do diabo" está localizada a 2.743 metros acima do nível do mar e foi considerada uma das vias com execução de engenharia mais difícil do mundo. Os viajantes podem experimentar a subida íngreme em uma série de ziguezagues e uma queda quase vertical de 500 metros. Parece assustador!

3. Nariz do Diabo, Equador

4. Trem das Nuvens, Argentina

Esta é uma via que passa pela Cordilheira dos Andes a uma distância de 217 km, conectando Salta, noroeste da Argentina, com Polvorilla, na fronteira com o Chile. A linha ferroviária, inaugurada em 1948, após quase 27 anos de construção foi originalmente feita com fins sócio-econômicos, mas hoje é um trem turístico que sai de Salta em uma viagem de ida e volta de 15 horas por 434 km. A rota passa por um total de 29 pontes, 21 túneis e 13 viadutos, um dos quais está a 4.250 metros acima do nível do mar. É uma das vias mais altas do mundo!

4. Trem das Nuvens, Argentina

5. Passe Branco e Yukon, Alaska

O Passe Branco de 110 milhas de comprimento foi originalmente construído durante a febre do ouro de Klondike para conectar Skagway, no Alasca, com Whitehorse, no território de Yukon, no Canadá. Foi aberto em 1900, mas fechado em 1982 após o colapso da indústria de mineração. No entanto, foi reaberto em 1988 como uma ferrovia patrimonial para que os turistas desfrutassem das vias íngremes, passando sobre falésias e paisagens deslumbrantes de montanhas, geleiras e cachoeiras. A rota sobe até 3.000 pés em um total de 20 milhas e inclui dois túneis, bem como a ponte conhecida como Capitão William Moore, construída em 1901.

5. Passe Branco e Yukon, Alaska

6. Kuranda Scenic, Austrália

A ferrovia Scenic de Kuranda tem 34 km e conecta Cairns até a cidade de Kuranda em Queensland, Austrália. Foi construída entre 1882 e 1891 e passa através da floresta densa do Parque Nacional Barron Gorge, considerado um Patrimônio Mundial e pela codilheira Macalister. As vias se submergem a poucos metros em numerosas cascatas, incluindo as Cataratas Barron, que encharcam os passageiros com água. O trem navega através de 15 túneis, 93 curvas e 40 pontes durante uma viagem de ida e volta de 1,45 horas.

6. Kuranda Scenic, Austrália

7. Georgetown Loop, Colorado

Esta se trata de uma ferrovia que conecta as cidades vizinhas de Georgetown e Silver Plume, nas Montanhas Rochosas do Colorado. A estrada estreita foi construída em 1877 para fornecer acesso às minas de prata e foi fechada em 1939, mas reaberta em 1984 para fins turísticos. A linha de trem se estende por 7,2 km e corre ao longo de um caminho de "saca-rolhas" em terreno montanhoso, atingindo uma altitude de 640 pés. O percurso inclui quatro pontes sobre o Valle de Clear Creek, incluindo a Ponte Alta da Porta do Diabo a 100 pés de altura, sobre a qual o trem se move lentamente e de forma precária. Que medo!

7. Georgetown Loop, Colorado

8. Lynton & Lynmouth Cliff, Reino Unido

Esta linha de ferro tem um comprimento de 263 metros e abrange as cidades inglesas de Lynton e Lynmouth, começando nesta última e deslizando por uma inclinação de 152 metros de altura com uma variação de inclinação de até 58 graus. O trajeto começou a funcionar em 1890 e está localizado no coração do Parque Nacional Exmoor, oferecendo vistas espetaculares do Exmoor e da costa norte de Devon. Os trens, que trafegam nas mesmas vias dos automóveis, podem transportar 40 pessoas cada.

8. Lynton & Lynmouth Cliff, Reino Unido

9. Cumbres e Toltec Scenic, Novo México

Construída em 1880, Cumbres e Toltec Scenic Railroad é uma ferrovia patrimonial de 64 milhas que opera entre Chama, no Novo México e Antonito, no Colorado. A estreita via foi construída como parte da Extensão San Juan do Rio Grande. O trem vem levando turistas através das pitorescas montanhas rochosas do Sul desde 1971. A rota deriva seu nome da garganta Toltec, de 800 pés de altura, e Cumbres de 10.015 pés, por onde a via passa. Esta é a via mais alta dos EUA, mas a locomotiva a vapor também avança entre as bordas estreitas, loops, cavaletes e túneis para conseguir chegar ao seu destino.

Imagens: Twitter/ StarStock/ YouTube

9. Cumbres e Toltec Scenic, Novo México

Não perca o novo vídeo do nosso canal do Youtube! Você sabia que o cérebro de Einstein foi roubado sem a autorização prévia dele? Como se isso não bastasse, ainda foi dissecado e passou décadas viajando por várias cidades dos Estados Unidos em um cooler de cerveja? Pois é, esses são apenas detalhes da bizarra saga do cérebro de Einstein que contamos neste vídeo:

0
O que você acha?! Juntar-se à conversa

Baep estoura laboratório de drogas em Campinas e mata suspeito